Provável jovem ministro paraibano evita entrar em polêmicas culturais

Provável jovem ministro paraibano evita entrar em polêmicas culturais

- Categoria: Politica
Foi por um golpe de sorte que o jovem André Amaral (PMDB) com seus 6.552 votos chegou a ser deputado federal. Inicialmente, ele assumiu quando Veneziano Vital do Rêgo (PMDB) se licenciou para a campanha de prefeito de Campina Grande, mas foi depois da renúncia de Manoel Júnior (PMDB), eleito vice-prefeito de João Pessoa, que ele se firmou em um dos gabinetes da Câmara Federal. Esta semana, novo sopro do imprevisto bafejou o rapaz. No vácuo do desinteresse do interino, João Batista de Andrade, e da recusa da senadora Marta Suplicy, convidada para ocupar a Pasta, o paraibano pode ser nomeado no retorno do presidente Michel Temer do exterior. Ele viaja à Rússia e Noruega na próxima semana para buscar um estreitamento das relações do Brasil com os dois países. 
Esta semana, durante entrevista ao programa de rádio Correio Debate, da 98 FM, André Amaral saiu pela tangente em todas as polêmicas culturais que lhe foram questionadas. Não opinou sobre a controvérsia da invasão de artistas sertanejos na programação do "Maior São João do Mundo", em Campina Grande, que tem rendido muita discussão entre protagonistas tão diferentes quanto Alcymar Monteiro, Elba Ramalho e Marília Mendonça, além do senador Cássio Cunha Lima e do prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues, ambos do PSDB.
Também se esquivou de emitir opinião sobre a represália do Minc na gestão Temer contra o filme Aquarius, cotado para o Oscar e supostamente embaçado pelo engajamento político do elenco, que havia denunciado a existência de um Golpe durante a participação no Festival de Cannes.
Em outro momento da entrevista, André Amaral defendeu as reformas trabalhista e da Previdência, chegando a alegar que a população não entende a necessidade da adoção de medidas duras por parte do presidente Michel Temer e sua equipe econômica.

Deixe uma Resposta